Mais de 1000 pessoas participaram das atividades pela igualdade de género realizadas no “Autocarro da Igualdade” no âmbito do projeto do AECT Duero-Douro “Na minha terra não há silêncio” durante as celebrações do 8M em Salamanca. A entidade promoveu workshops interativos para todos os públicos, entregando-lhes um pack de merchandising pela igualdade real juntando-se às manifestações. Como forma de encerramento da jornada reivindicativa efetuou-se uma largada de balões lilás pela igualdade de género.

 

O projeto pela Igualdade de Género do AECT Duero-Douro “Na minha terra não há silêncio” recebeu mais de 1000 visitantes no seu “Autocarro Interativo pela Igualdade” durante as manifestações do Dia Internacional da Mulher em Salamanca.


A iniciativa, do AECT Duero-Douro enquadrada no “Pacto de Estado contra a violência de género”, alcançou cerca de 1500 pessoas desde janeiro e prevê realizar um duplo percurso pelos 45 municípios veiculados ao projeto.


As próximas paragens do “Autocarro Interativo pela Igualdade”, serão em Morales de Toro, Samir de los Caños, San Pedro de la Nave-Almendra, Villaseco del Pan, Fresno de la Ribera, Melgar de Tera, Santa Croya de Tera, Villardeciervos e Ferreruela de Tábara.

Trabanca, 9 de março de 2020.- O Autocarro pela Igualdade do AECT Duero-Douro esteve presente na Plaza de la Concordia em Salamanca durante as celebrações do Dia Internacional da Mulher. A equipa técnica também participou na manifestação que percorreu vários pontos da cidade salmantina, erguendo uma grande faixa do Projeto “Na minha terra não há silêncio” cujos principais objetivos são a prevenção, sensibilização, deteção e consciencialização sobre a violência de género, sobretudo no meio rural.


Mais de 1000 crianças, jovens, mulheres e homens de todas as idades entraram no Autocarro da Igualdade onde se realizaram workshops para todos os coletivos: pinturas faciais e conto de histórias, jogos acerca do papel das mulheres na história e na atualidade, vídeo fóruns, entrega de merchandising a favor da igualdade, livro de visitas e Caixa de Sugestões “Tu Voz +” e largada de balões lilás.


Atualmente, este autocarro interativo percorre o território para informar, prevenir e sensibilizar para a violência de género. Também, trata de consciencializar e influenciar positivamente não só as futuras gerações, como também todos os coletivos da sociedade, centrando-se no território rural âmbito de atuação do AECT Duero-Douro, entidade organizadora da iniciativa.
O propósito deste projeto é reconhecer, unir vozes para e pelo o mesmo objetivo, sensibilizando através de atividades atrativas e atuais em matéria de igualdade entre mulheres e homens pensadas para todos os coletivos e idades, levadas a cabo por técnicos especialistas no tema e altamente qualificados.


Os workshops são realizados pela Técnica em Igualdade Nerea Ballesteros Alejandro, que salientava a importância de “dotar de ferramentas e recursos suficientes que garantam e promovam a igualdade real e efetiva entre ambos os géneros”. A sua estratégia baseia-se na coeducação, método educativo que parte do princípio da igualdade entre sexos e a não-discriminação por razões de género, pois segundo Ballesteros, “é através desta educação que podemos favorecer a equidade social na aprendizagem e o desenvolvimento pessoal do ser humano, para ensinar a reconhecer os mecanismos de violência de género possibilitando assim a sua deteção e prevenção”.


O AECT Duero-Douro contou também com o apoio de outras entidades que se uniram ao intenso dia, e pretende continuar a trabalhar na organização e lançamento destas iniciativas para dar visibilidade a ações presentes no dia-a-dia que merecem ser uma montra reivindicativa, de debate, reflexão, crítica, análise e mudança, mediante a ferramenta mais poderosa de uma sociedade, que é a educação em igualdade.


Até ao momento, o autocarro interativo de “Na minha terra não há silêncio” percorreu cerca de 20 localidades rurais, realizando mais de 30 workshops durante o passado mês de fevereiro, alcançando mais de 200 pessoas adultas, maioritariamente mulheres, e mais de 100 jovens e crianças entre os 3 e os 14 anos. As próximas paragens são Morales de Toro, Samir de los Caños, San Pedro de la Nave-Almendra, Fresno de la Ribera, Melgar de Tera, Santa Croya de Tera, Villardeciervos e Ferreruela de Tábara. A iniciativa, do AECT Duero-Douro, teve início no passado ano de 2019 e pretende estender-se até finais de junho de 2020 percorrendo os 45 municípios das províncias de Zamora e Salamanca vinculados ao projeto.
Entre os próximos objetivos e ideias futuras, “Na minha terra não há silêncio” realizará Caminhadas pela Igualdade: no dia 9 de maio realizar-se-á a primeira de 2020 em Morales de Toro (Zamora). Adicionalmente às caminhadas, a campanha planeia fazer uma segunda volta pelas localidades com workshops adaptados às sugestões dos seus participantes e visitantes na primeira sessão.
Os workshops “Na minha terra não há silêncio”

Os mais pequenos puderam desfrutar de pinturas faciais, dinâmicas de troca de papéis, jogos de cooperação, visualização de filmes e contos tradicionais; com a intenção de propiciar um debate reflexivo sobre a partilha de tarefas domésticas, os papéis e estereótipos aprendidos desde muito jovens, analisar atitudes machistas presentes em histórias infantis, rádio, televisão e no jargão utilizado no quotidiano.

Os jovens participaram da análise de comportamentos discriminatórios nos meios digitais, relacionamentos tóxicos, indicadores de abuso e controlo de relações afetivas; e puderam analisar na primeira pessoa letras sexistas presentes em músicas da atualidade.
Com isso pretende-se difundir o uso de uma linguajem inclusiva, estimular a empatia e compressão pelo género oposto e um debate crítico sobre os micro-machismos e as noticias atuais.

O coletivo de adultos e idosos foram convidados a voltar atrás no tempo, recordando a contribuição da mulher na sociedade, a partilhar experiências sobre ser mãe/pai e a conciliação familiar e profissional; para além de consciencializar para a partilha igualitária das tarefas domésticas.
E sobretudo, favorecer a participação da mulher na sociedade nas várias vertentes, fazendo com que sejam elas as protagonistas e uma peça fundamental da mudança e transformação da sociedade que precisa do apoio de todos, não só do sexo oposto, como também de técnicos, dirigentes, políticos, representantes da esfera pública, privada,… todos pela igualdade de género.

“Na minha terra não há silêncio” é uma iniciativa apresentada e desenvolvida pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Duero-Douro e enquadrada no Pacto de Estado contra a Violência de Género. Todas as atividades integram-se num plano global que pretende levar a cabo uma análise profunda sobre a violência de género: de onde vem e como influencia a sociedade e vice-versa.
Junte-se a esta iniciativa e seja poderoso/a!


Se tem interesse em participar do projeto, contacte a organização:


-Laura Pérez (Coordenação): Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.


-Nerea Ballesteros (Técnica em Igualdade): Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.


+34 923 14 15 04